22.1 C
São Paulo

Manchester United fecha acordo com exchange de criptomoedas

É Pop!

O Manchester United fechou um acordo milionário com a Tezos, uma exchange de criptomoedas, que irá estampar os uniformes de treino do clube.

Não foi divulgado de quanto tempo será o contrato, mas o que se sabe é que será de 27 milhões de dólares no total, o que equivale a mais de 120 milhões de reais. O contrato permite a utilização do logo da Tezos nos equipamentos de esporte dos Diabos Vermelhos, mas, parece que também existe um rumor de uma colaboração entre ambos para a criação de um ambiente no Metaverso, inspirado no clube, assim como outros projetos na web3.

O que já é realidade no mundo dos esportes, uma vez que o time português, Porto, criou o seu estádio no ambiente do Metaverso com vantagens e benefícios exclusivos para aqueles que fizeram uma parceria através de Fan Tokens ou também a compra de artigos do clube, que estão inseridos nesse novo universo, mas tudo isso só foi possível por causa do acordo que o time fez com uma exchange de web3.

A exchange de criptomoedas, Tezos, possui grandes nomes em seu portfólio como as equipes de F1, como a McLaren e Red Bull Racing, além de seu novo parceiro, o Manchester United.

Em todos os seus acordos, a exchange Tezos atua como parceira das marcas na criação de blockchains e também tokens não fungíveis (NFTs).

E como diversos clubes de diferentes esportes estão fazendo isso, os torcedores do Manchester United também podem esperar por cards colecionáveis, tokens não fungíveis (NFTs), criptomoedas ou até mesmo Fan Token. É possível dizer que eles chegaram atrasados nesse mundo, uma vez que diversos outros grandes nomes do futebol já tiveram um lucro de milhões com as vendas de seus criptoativos.

Mas o Manchester United ainda pode lucrar muito bem com isso, pois com os seus fãs ansiosos por eles finalmente aderirem a essa tecnologia, o que não vai faltar é torcedor querendo cards colecionáveis e tokens não fungíveis (NFTs).

A Premier League é outra que entrou para esse mundo de criptomoedas e tokens não fungíveis (NFTs) e muitos times já estão inseridos nesse novo universo com empresas de web3.

Há diversos times que possuem os seus próprios Fan Tokens e, dentre eles, podemos citar o Arsenal, Wolverhampton e também o Manchester City, e eles lucram bastante com o seu objetivo que é dar benefícios exclusivos aos seus fãs e diversos torcedores. Uma boa parte desse negócio vem da Socios.com, bem conhecida no mercado e que já possui diversos negócios com grandes ligas do esporte, até mesmo no Brasil.

O Watford foi um dos primeiros na Inglaterra a estampar em seu uniforme de jogo a imagem de uma criptomoeda, e eles são bem menores que o Manchester United, o que nos leva a pensar que eles realmente estão atrasados nessa nova onda.

A equipe estampou nas mangas e também nas costas a logo da Dogecoin (DOGE), que é uma das principais criptomoedas do mundo atualmente, na temporada de 2021/2022, é bem famosa e ficou famosa pelos memes, além de já ter sido comentada pelo bilionário Elon Musk.

Essas tecnologias como as criptomoedas, os tokens não fungíveis (NFTs) e entre outros, estão cada vez mais presentes no mundo dos esportes e ninguém pode negar isso, e nem que, futuramente, teremos muito mais acordos esportivos com empresas de tokens não fungíveis (NFTs), criptomoedas e web3.

Os times estão lucrando bastante com esses acordos milionários, que vão desde sites de apostas até mesmo Fan Tokens que também são bastante lucrativos para os times que, anteriormente, dependiam de patrocínios tradicionais.

Aqui no Brasil, temos 12 clubes que possuem os seus próprios Fan Tokens (tokens não fungíveis utilitário), uma modernidade que ainda não chegou a muitos outros grandes times esportivos, mas que, com toda certeza, chegará em breve, pois esse é uma nova forma de lucrar e que está indo muito bem para muitos times.

- Advertisement -spot_img

Leia também

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias