Metaverso e E-Sports se unem em grande projeto; Confira

Talon Esports anunciou que está lançando um metaverso para os visitantes comprarem itens online voltados para esportes eletrônicos. Em vez de uma loja online normal, a Talon montou o que chama de “Templo Proibido do Talon” no Highstreet World Metaverse, contendo mercadorias exclusivas que você não consegue em nenhum outro lugar.

O Forbidden Talon Temple realmente não é tão proibido. Para encontrá-lo, você precisa ir ao metaverso de compras Highstreet, que é essencialmente uma loja de varejo com integração NFT/token. Talon e Highstreet estão lançando um colecionável físico juntos, mas uma versão digital também estará disponível em Highstreet.

Como funciona o Metaverso da Talon

O Forbidden Talon Temple é uma loja online interativa onde os visitantes podem conferir itens inspirados no Talon, incluindo uma exposição inteira mostrando as realizações da marca esportiva. A mercadoria da equipe também está disponível para compra na loja, e haverá missões e áreas fechadas por tokens que abrigam conteúdo exclusivo. A mercadoria estará disponível para todos, mas você precisará criar uma conta para entrar no Templo.

Há muito para ver no Forbidden Talon Temple, se você é um grande fã do time. O Templo possui algumas salas temáticas, como uma que abriga um Hall da Fama com troféus, uniformes, conquistas e pôsteres de Talon. O Talon HQ exibe os produtos da equipe, enquanto o Talon Office é, segundo a marca, “reservado para interações e experiências de elite”. Suponho que essa seja uma das “áreas protegidas por tokens” para as quais você precisa de acesso especial. No entanto, não consigo imaginar o que poderia valer a pena ser fechado por dentro.

O Forbidden Talon Temple terá um moletom exclusivo disponível para compra para celebrar esta colaboração, ao preço de US$89 – embora um comunicado de imprensa mencione que esse preço será “liquidado usando tokens HIGH”. Qualquer pessoa que usar este moletom no metaverso receberá um conjunto especial de asas anexadas aos seus avatares digitais.

Talon está atualmente no auge da competição no TI12 para DOTA 2, bem como no Mundial 2023 para League of Legends. A empresa opera sete equipes de esportes eletrônicos em todo o mundo.

Projeto inovador cria grupo de K-Pop no Metaverso; Entenda

SIU:, ZENA:, TYRA: e MARTY:. Grupo K-pop MAVE, que estreou com ‘Pandora’: Este é o nome dos quatro membros. Eles têm entre 19 e 20 anos e vêm de diversos países, dos Estados Unidos à Indonésia. Embora todos tenham características asiáticas, como é comum na indústria do entretenimento coreana.

O primeiro videoclipe da banda tem mais de 20 milhões de visualizações, e sua conta no Spotify tem mais de 1,5 milhão de ouvintes mensais. ‘Music Core” foi ao ar na MBC como se um grupo de K-pop com alguma influência tivesse vindo promover seu novo single. Membros do MAVE: Eles participaram do desafio TikTok e já comemoraram 100 dias desde a estreia.

Mas apesar das imagens e conquistas que o acompanham, o fato de serem avatares pode surpreender quem menos os conhece. Graças à inteligência artificial, tecnologia 3D, realidade aumentada e síntese de voz, esses cantores virtuais podem se igualar a qualquer grupo K-pop normal e às vezes são difíceis de distinguir de grupos humanos, especialmente quando se trata de cantar.

Grupo de K-Pop tem grandes ambições para o futuro da música

O nome MAVE vem das palavras make new wave ou meta wave, o que significa que tem “a ambição de criar uma nova onda na cena K-pop na era do metaverso”. Os nomes dos grupos pop coreanos geralmente contêm significados relacionados aos membros, ao que eles desejam alcançar com sua música e ao que desejam transmitir. Da mesma forma, nomes de fãs criados por agências de entretenimento também contêm relevância e significado para o grupo.

Neste caso, a razão pela qual os fãs de MAVE: são chamados de MAZE: (Labyrinth) significa que junto com o grupo, “vamos criar um novo caminho, um labirinto que ninguém se atreve a abordar, com a crença inabalável de que encontraremos uma saída.”

Fortnite está criando seu próprio Metaverso; Entenda

As ambições do metaverso da Epic Games para Fortnite têm se concretizado lenta mas seguramente, com o estúdio transformando o que antes era um simples jogo Battle Royale em uma plataforma por si só. Como parte da conclusão do Capítulo 4 do jogo, a Epic provocou o futuro de Fortnite com a introdução de um modo de corrida, um jogo de ritmo e uma colaboração LEGO incrivelmente ambiciosa.

A Epic Games revelou e detalhou totalmente três ramos inteiramente novos para o jogo Battle Royale conhecidos como ‘LEGO Fortnite’, ‘Rocket Racing’ e ‘Fortnite Festival’.

LEGO Fortnite é descrito como “a aventura LEGO de sobrevivência definitiva”, apresentando “mundos vastos e abertos” onde a magia da construção de LEGO e Fortnite colidem. Projetado para pessoas de todas as idades se divertirem juntas, o jogo incentivará a criatividade, a experimentação e a colaboração através do jogo.

Enquanto isso, Rocket Racing será “um jogo de corrida arcade supersônico onde os jogadores flutuam, voam e aceleram com os amigos através de uma seleção cada vez maior de pistas”. Desenvolvido por Psyonix, famoso pela Rocket League, este novo modo oferece uma experiência de corrida muito mais robusta quando comparado ao kart Fortnite padrão visto no mapa BR.

Metaverso do Fortnite tem até Shows ao vivo

Por último, mas não menos importante, está o Fortnite Festival: “um novo jogo musical onde os jogadores podem tocar em uma banda com amigos ou se apresentar sozinhos no palco com músicas de sucesso de seus artistas favoritos”. Tal como acontece com Rocket Racing, este jogo de ritmo é desenvolvido por uma subsidiária da Epic Games – Harmonix – mais conhecida por criar Guitar Hero e Rocksmith, o que significa que a mecânica do jogo deve ser sólida.

LEGO Fortnite irá ao ar no dia 7 de dezembro, com Rocket Racing seguindo de perto apenas um dia depois, no dia 8 – e Fortnite Festival na retaguarda, no dia 9 de dezembro. Fortnite tem sido de longe um dos títulos de serviço ao vivo mais dinâmicos, mas com esta próxima atualização, parece que a Epic Games está finalmente abrindo as comportas do metaverso, introduzindo oportunidades possivelmente infinitas.

Entenda como o Metaverso pode mudar o rumo do Futebol

Imagine a cena. Sentado nas arquibancadas, você está profundamente debatendo com seus companheiros sobre o desempenho de seu jogador favorito. Não há chance de acordo, então você pega seu telefone, aponta para o campo, clica na cabeça dele – e exibe todas as estatísticas do jogo.

Em tempo real. Já é possível fazer exatamente isso em certas partes do mundo e a adoção generalizada não está longe. Essa é apenas a ponta do iceberg rumo a uma cultura onde a realidade virtual, a realidade aumentada e o metaverso só se tornarão mais influentes nos próximos anos e décadas.

A recente combinação dos três da Apple por meio de seu fone de ouvido ‘Vision Pro’ ganhou manchetes globais quando foi anunciada, mas há muito mais nesta indústria emergente do que parece que você está usando óculos de natação enormes.

O que especialistas e fãs acham do Metaverso no Futebol

Exatamente como o trio se desenvolverá no esporte é algo que ninguém pode prever com segurança, mas a Sky Sports conversou com alguns jogadores importantes que trabalham no futuro da tecnologia no futebol para descobrir como sua tarde nas arquibancadas – seja real ou virtual – pode olhar em 2043.

Alguns fãs já experimentaram. Os torcedores de futebol americano e beisebol nos EUA sabem aproveitar bônus adicionais nos dias de jogo quando pegam seus smartphones.

Eles podem jogar itens virtuais no campo, enquanto observam os outros fazerem o mesmo, ou passar o tempo durante os intervalos assistindo versões digitais de seus jogadores favoritos dançando em torno de seu estádio, como se isso estivesse acontecendo bem na frente deles.

Isso pode parecer brincadeira de criança e, no momento, é em grande parte. Mas estes adeptos estão a envelhecer e a trazer consigo esta forma diferente de “consumir” o Esporte.

Fãs ganham nova forma de assitir UFC com Metaverso

A Meta anunciou esta semana que está se unindo ao Ultimate Fighting Championship (UFC), uma das maiores promoções profissionais de artes marciais mistas (MMA), em uma experiência original no metaverso social VR da Meta, Horizon Worlds.

Neste projeto os clientes poderão assistir a partidas envolventes de 180 graus em resolução 4K ao lado de outros entusiastas do MMA. Entre as partidas, você pode discutir com outros usuários sobre seus lutadores favoritos e desbloquear recompensas exclusivas competindo em uma variedade de minigames individuais e de multijogadores.

“Não há quase nada em todos os esportes que se compare à emoção de um grande evento de MMA”, disse Craig Borsari, diretor de conteúdo e produtor executivo do UFC, em uma postagem oficial no blog Meta. “Estamos sempre procurando maneiras de capturar essa experiência e compartilhá-la com nossos fãs que não podem ir à arena. Foi assim que construímos este esporte ao longo dos anos – proporcionando aos fãs de todo o mundo oportunidades de interagir com nosso conteúdo, seja por meio de participação presencial, transmissões ao vivo ou mídias sociais.”

“E agora, Meta Horizon Worlds está levando o envolvimento dos fãs e a construção da comunidade a outro nível”, acrescentou. “A Meta foi pioneira na tecnologia VR através do Meta Quest 2 que faz você se sentir como se estivesse no convés do octógono, ao lado de nossos cinegrafistas. Ao mesmo tempo, o Mundial oferece um ambiente social envolvente onde os fãs podem ver e conversar uns com os outros em tempo real. Não há nada assim disponível para os fãs de MMA em nenhum outro lugar.”

Lutas do UFC ganharão upgrade histórico com Metaverso

A emoção do MMA não termina aí, porém. Além do Horizon Worlds, as partidas do UFC serão transmitidas ao vivo em 4K 180 graus via Xtadium, um aplicativo esportivo VR que apresenta eventos esportivos ao vivo, sob demanda e pay-per-view. Os assinantes do UFC FIGHT PASS podem acessar cartões UFC PPV adicionais e outros conteúdos originais por meio do aplicativo.

O MMA é um esporte intenso e de ritmo acelerado, onde a ação pode mudar rapidamente e os riscos podem mudar em questão de segundos”, disse Sebastian Amengual, CTO e cofundador da YBVR. “A VR aprimora a experiência de visualização, fornecendo uma visão envolvente e próxima da ação. Uma coisa é assistir a uma luta em uma tela plana, mas está praticamente do lado da jaula, sentir a proximidade dos lutadores e a energia bruta do confronto é uma experiência totalmente diferente.

UFC e Meta de unem em projeto grandioso; Entenda

A Meta anunciou esta semana que está se unindo ao Ultimate Fighting Championship (UFC), uma das maiores promoções profissionais de artes marciais mistas (MMA), em uma experiência original no metaverso social VR da Meta, Horizon Worlds.

Neste projeto os clientes poderão assistir a partidas envolventes de 180 graus em resolução 4K ao lado de outros entusiastas do MMA. Entre as partidas, você pode discutir com outros usuários sobre seus lutadores favoritos e desbloquear recompensas exclusivas competindo em uma variedade de minigames individuais e de multijogadores.

“Não há quase nada em todos os esportes que se compare à emoção de um grande evento de MMA”, disse Craig Borsari, diretor de conteúdo e produtor executivo do UFC, em uma postagem oficial no blog Meta. “Estamos sempre procurando maneiras de capturar essa experiência e compartilhá-la com nossos fãs que não podem ir à arena. Foi assim que construímos este esporte ao longo dos anos – proporcionando aos fãs de todo o mundo oportunidades de interagir com nosso conteúdo, seja por meio de participação presencial, transmissões ao vivo ou mídias sociais.”

“E agora, Meta Horizon Worlds está levando o envolvimento dos fãs e a construção da comunidade a outro nível”, acrescentou. “A Meta foi pioneira na tecnologia VR através do Meta Quest 2 que faz você se sentir como se estivesse no convés do octógono, ao lado de nossos cinegrafistas. Ao mesmo tempo, o Mundial oferece um ambiente social envolvente onde os fãs podem ver e conversar uns com os outros em tempo real. Não há nada assim disponível para os fãs de MMA em nenhum outro lugar.”

Lutas do UFC ganharão upgrade histórico com Metaverso

A emoção do MMA não termina aí, porém. Além do Horizon Worlds, as partidas do UFC serão transmitidas ao vivo em 4K 180 graus via Xtadium, um aplicativo esportivo VR que apresenta eventos esportivos ao vivo, sob demanda e pay-per-view. Os assinantes do UFC FIGHT PASS podem acessar cartões UFC PPV adicionais e outros conteúdos originais por meio do aplicativo.

O MMA é um esporte intenso e de ritmo acelerado, onde a ação pode mudar rapidamente e os riscos podem mudar em questão de segundos”, disse Sebastian Amengual, CTO e cofundador da YBVR. “A VR aprimora a experiência de visualização, fornecendo uma visão envolvente e próxima da ação. Uma coisa é assistir a uma luta em uma tela plana, mas está praticamente do lado da jaula, sentir a proximidade dos lutadores e a energia bruta do confronto é uma experiência totalmente diferente.

The Sandbox fecha parceria histórica com gigante do mercado

O McDonald’s, a famosa rede de fast-food, decidiu comemorar o 40º aniversário dos famosos McNuggets convidando-se para o universo Web3. Assim, a gigante do fast-food inaugurou o McNuggets Land, um espaço virtual localizado no metaverso The Sandbox, onde os usuários podem desfrutar de uma experiência divertida e interativa baseada no produto indispensável da marca.

Esta não é a primeira vez que a famosa marca se aventura no universo Web3. Na verdade, o McDonald’s já foi notícia em abril de 2021 com o lançamento de uma coleção gourmet NFT. Esta última incursão no metaverso mostra o quão determinada a marca está em participar nas últimas tendências tecnológicas e capitalizar a mania destes novos espaços virtuais.

Imersão e minigames no Metaverso do McDonald’s

McNuggets Land convida os visitantes a descobrir um mundo pixelizado povoado por personagens antropomorfizados à imagem dos famosos nuggets de frango. Os aventureiros encontrarão também elementos referentes aos vários molhos emblemáticos que acompanham estes saborosos petiscos. Mas isso não é tudo, pois também é possível embarcar em missões jogáveis que rendem recompensas em SAND, a moeda virtual do The Sandbox.

Em McNuggets Land, vários minijogos temáticos mantêm os visitantes entretidos e testam suas habilidades.

Essas experiências de jogo exclusivas no The Sandbox oferecem aos usuários a chance de ganhar recompensas, principalmente no SAND.

A filial do McDonald’s em Hong Kong está por trás desta iniciativa ousada, que ilustra a convergência entre o mundo virtual e o setor tradicional de fast-food.

O McDonald’s junta-se a uma lista crescente de empresas e celebridades que investem no metaverso para desenvolver a sua presença e alcançar novos públicos. Esses mundos digitais oferecem inúmeras oportunidades para as marcas criarem experiências imersivas e personalizadas para seus clientes, ao mesmo tempo que aproveitam o poder do blockchain e dos tokens não fungíveis (NFT).

Conheça o acordo milionário do PayPal com grande marca Web3

A Wallet de Criptomoedas MetaMask adicionou uma integração junto da plataforma financeira online PayPal à sua carteira de criptomoedas, em uma ação que agora permite que os usuários dos Estados Unidos comprem ETH (Ethereum) diretamente do aplicativo.

Por enquanto, o recurso de fato ainda não está disponível para os usuários fora dos Estados Unidos, no entanto a MetaMask tem planos para lançar lentamente o recurso para outros grandes centros ainda nas próximas semanas.

De acordo com anúncio que foi feito no dia 14 de dezembro do ano passado, a integração do PayPal só estará disponível através do aplicativo móvel MetaMask, ou seja, na versão web desktop o recurso não irá funcionar.

A extensão do navegador MetaMask já oferece aos usuários dos EUA a capacidade de comprar criptomoedas diretamente de sua carteira através da CoinbasePay, Transak, MoonPay ou Wyre.

Em comunicado oficial, o gerente de produto da MetaMask, Lorenzo Santos, afirmou que o novo recurso veio para facilitar e integrar ainda mais uma comunidade de investidores e de interessados em tecnologia web3.

“Essa integração com o PayPal permitirá que nossos usuários dos EUA não apenas comprem criptoativos sem problemas através da MetaMask, mas também explorem facilmente o ecossistema Web3″, conta Lorenzo.

Já em entrevista para o blog de tecnologia ‘Decrypt”, Lorenzo Santos disse que a integração do PayPal estará disponível na extensão do navegador de desktop da MetaMask no próximo trimestre.

Qualquer movimentação do gênero feita na nova extensão contará com uma taxa de serviço de 1% da MetaMask, que será aplicada a todas as compras, além das taxas do PayPal também aplicáveis.

O objetivo da ação entre MetaMask e PayPal

Além de serem dois dos grandes nomes da finança moderna, a junção dos dois não visa 100% na lucratividade das empresas, já que a nova integração teria como principal foco o poder de ajudar a reduzir o “atrito” no processo de integração, permitindo que aqueles que são novos no universo dos cripto ativos evitem um possível processo complicado de compra de criptomoedas por meio de uma exchange, buscando agora a facilidade na hora de ter de enviar fundos cuidadosamente para sua carteira MetaMask

A notícia chamou obviamente a atenção dos usuários do PayPal nos Estados Unidos, já que marca o mais recente movimento da empresa no mercado de criptomoedas.

O PayPal começou a oferecer aos usuários a capacidade de comprar e vender criptomoedas ainda em 2020, mas se limitando apenas as grandes Coins do mercado, sendo elas o Bitcoin, Ethereum, Bitcoin Cash e Litecoin.

Além disso, o principal era o que agora pode ser feito, já que na época os usuários não podiam transferir essas criptomoedas para outras carteiras como a MetaMask.

Festa de 2 milhões no Metaverso flopa e causa prejuízo gigante; Entenda

A “novidade” do Metaverso está começando a ser explorada pelas grandes organizações governamentais, que encontraram nessa tecnologia uma nova forma de interagir com a população e porquê não, fazer política. Exemplo disso foi uma festa milionária em um ambiente no Metaverso promovida pela Comissão Europeia, que é basicamente um braço executivo da União Europeia.

Apesar da empolgação e boa ideia de inovação, a Comissão viu a festa se transformar num verdadeiro flop. Isso porque apenas cinco pessoas compareceram ao evento, que consistia em apresentações de avatares dançando música eletrônica em uma ilha tropical virtual.

Com foco em atrair um público formado por pessoas de 18 a 35 anos não engajadas politicamente, nada deu certo e um investimento de mais de 2 milhões de reais foi por água abaixo.

Ainda segundo a organização, o evento também seria para “intrigar o público jovem, principalmente os que estão no TikTok e no Instagram, e incentivá-lo a se envolver com o conteúdo mais amplo da campanha, o que aumentaria a conscientização sobre o que a UE (União Européia) faz no cenário mundial entre um público que normalmente não é exposto a essas informações”.

De acordo com informações de jornais europeus, essa iniciativa de investimento partiu de um projeto chamado Global Gateway, que inclusive, pretende investir cerca de 300 bilhões de euros até 2027, na construção de novas infraestruturas de Metaverso nos países em desenvolvimento.

Veja como foi a experiência da festa no Metaverso

Um dos poucos participantes da festa no Metaverso promovida pela Comissão Européia, foi o jornalista correspondente internacional Vince Chadwick, da Devex, um dos principais portais de notícias da Europa.

Vince foi apenas um dos convidados para a festa no Metaverso, que compareceram, e em seu Twitter contou como foi a experiência, inclusive esclarecendo que foi o último a deixar o evento.

“Estou aqui no concerto de “gala” no metaverso de 387 mil euros do departamento de ajuda externa da UE (projetado para atrair jovens de 18 a 35 anos não engajados politicamente). Depois de conversas iniciais confusas com outros cinco seres humanos que apareceram, eu estou sozinho”, publicou em sua rede social.

Além disso, em sua coluna no Devex, Vince deu seu feedback geral sobre como se sentiu no evento, além de colher análises dos outros participantes presentes, que em sua maioria analisaram o evento de forma bastante negativa.

Diversos outros países planejam grandes investidas do tipo na projeção de tecnologias não só do Metaverso, mas da web3 no geral.

Países como El Salvador, Suíça, Argentina, Inglaterra e até o Brasil, tentam partir na frente quanto a produção de melhores condições para se conviver com essa nova forma de tecnologia que em breve deve “dominar” o ambiente virtual.

Conheça o projeto de Jogo NFT de Danilo Gentili

Um dos atuais grandes nomes da comunicação no Brasil, o humorista e apresentador Danilo Gentili, comandante do diário talkshow The Noite, no SBT, irá lançar seu próprio projeto web3, que mescla Games, Metaverso e NFT, em mundo virtual chamado de “Brazuera”.

Ainda sem maiores detalhes, é difícil de se imaginar o que está por vir da mente de Gentili, que se for levada em conta devido ao poster já divulgado, estará presente principalmente características totalmente brasileiras, como o amado cachorro caramelo e as piadas depreciativas ao governo, famosas nas pautas do apresentador.

Além do pôster, junto do post publicado em seu Twitter, também está uma indicação para o site do projeto Brazuera.

Publicado no dia 24 de outubro, ainda não há informação sobre desenvolvimento nem data de lançamento, assim como o anúncio foi feito no Twitter.

Apesar disso, o site detalha algumas coisas importantes sobre ideias, que até partem para um início de parte técnica, onde Gentili escreve que “aquele que se interessar pela coleção de NFTs poderá fazer parte de uma comunidade que ousou apostar na valorização de uma ideia”.

Vendas de NFT do projeto de Danilo Gentili já está disponível

Ainda no site, seguindo a linha de convite para investimento, o usuário recebe a mensagem que já se pode comprar um NFT, que de acordo com a página, lhe dará o direito à “cidadania no BRAZUERA”.

No mesmo dia 24, uma lista de espera para compra do ativo foi ativada, e 4 dias depois, no dia 28, em transmissão ao vivo do programa na internet Flow Podcast, Danilo e seu projeto enfim abriu a fila, permitindo a compra aberta diretamente com uma carteira de criptomoedas descentralizada para os tokens não fungíveis (NFT).

Apesar de não muitos detalhes, um dos principais pronunciamentos do comediante foi quanto ao destaque em cima do Vira-lata Caramelo, escolhido como símbolo do Brasil recentemente em toda a internet.

“Esse é o nosso espírito e é ele que nos conduz! Somos um povo sem raça, embora tenhamos todas as raças em uma só, podemos ser espertos como as serpentes porém somos dóceis como os pardais, sobrevivemos às piores condições de abandono sem nunca perdermos a ternura”, revela Danilo Gentili.

Essa não é a primeira relação de Danilo com o universo web3, já que como integrante do time televisivo do SBT, o mesmo fez parte do projeto de Tokens e Metaverso da emissora, em comemoração aos seus 70 anos de existência.

Apesar de não ser o idealizador, Gentili atuou de forma indireta sendo até mesmo um NFT, onde em forma de arte, aparecia com a peça “Danilo Sinatra in Concert”, uma versão digital e estilizada do apresentador do canal aberto.