14.5 C
São Paulo

Google deverá pagar R$ 3,4 milhões por caso de bullying a político

É Pop!

O Google recebeu, nesta segunda-feira (6), uma notícia desagradável. Por não ter removido dois vídeos do YouTube, avaliados como “racistas” e “abusivos”, a companhia recebeu uma condenação no valor de US$ 715 mil (cerca de R$ 3,4 milhões na cotação atual) para pagar a John Barilaro, ex-vice-primeiro-ministro de Nova Gales do Sul, na Austrália.

O comentarista político e comediante Jordan Shanks postou os vídeos em 2020, em seu canal “Friendlyjordies”. Um deles, intitulado de “bruz”, Shakhs zoa Barilaro com críticas por aproximadamente 30 minutos. Em outro, chamado de “Ditadura Secreta”, o youtuber menciona brevemente o político. As informações são do The Herald.

Diante da repercussão, Shanks emitiu um pedido de desculpas públicas ao ex-vice-gestor. Ele também foi recebeu a punição em dinheiro no valor de US$ 71 mil (aproximadamente R$ 339 mil) por danos morais.

Ainda assim, a nova condenação, desta vez ao Google, tem como causa a continuidade dos vídeos disponíveis no YouTube. Dessa forma, o juiz do Tribunal Federal, Stephen Rares, avaliou que a plataforma de vídeos tornou vulnerável o político com uma campanha de cyberbullying “implacável e cruel”.

Acima de tudo, nos dois vídeos, Shanks empossa Barilaro de crimes como corrupção. A contestação foi considerada como caluniosa pelo juiz. No quesito das insinuações, incriminações como chantagear vereadores, desviar dinheiro do seu governo local, além de perjúrio no tribunal em nove ocasiões diferentes estão presentes.

- Advertisement -spot_img

Leia também

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias