22.1 C
São Paulo

NHL entra para o mundo de NFTs

É Pop!

Para quem ama hóquei e NFTs, você vai gostar dessa notícia. A NHL está lançando um programa de NFT. Em parceria com a Sweet, a liga está construindo um mercado de colecionáveis digitais, que vai de momentos icônicos da história do hóquei até as “salas de troféus interativas em 3D, onde os usuários podem exibir suas coleções”. A NHL fez o anúncio durante a NFT.NYC, e durante as finais da Stanley Cup também, mas parece que planeja lançar o programa antes da próxima temporada.

Diferente da OpenSea ou SuperRare, a Sweet é uma plataforma muito menor em comparação às outras, mas está inclusa no mercado de NFTs mais fáceis de utilizar, permitindo assim que os usuários comprem coisas com criptografia ou apenas com cartão de crédito. Ele também tem um vasto conteúdo esportivo, incluindo colecionáveis ​​de várias equipes da Fórmula 1 e da NBA.

Podemos dizer que demorou bastante para que a NHL entrasse no mundo de NFTs, se levarmos em comparação que os colecionáveis digitais estão dominando o mundo dos esportes nos últimos anos.

NBA tem o Top Shot, a NFL tem o All Day, a MLB e a Topps continuam lançando novos colecionáveis digitais, Sorare está em uma parceria com aparentemente todos os clubes de futebol da Europa, assim como a UFC Strike e vários de outros.

Com isso, a liga NHL está bem atrasada em relação ao mercado de tokens não fungíveis (NFTs), o que pode significar que perdeu o auge desse mercado, porque o Top Shot e outros mercados de NFTs estão bem avançados de onde estavam anteriormente.

Ainda assim, os esportes continuam a ser um caso de uso tão sensato quanto qualquer outro para NFTs, se é que existe tal coisa, de qualquer maneira. As pessoas colecionam cartões comerciais há décadas, e o mercado desses cartões continuou a crescer nos últimos anos. Os colecionáveis ​digitais oficialmente licenciados servem para muitos dos mesmos propósitos, embora ainda não se saiba se “um vídeo de um destaque legal” tem o mesmo valor de longo prazo que o cartão Mickey Mantle, que foi vendido por 5,2 milhões de dólares no ano passado.

Algumas outras ligas sugeriram ambições mais amplas para NFTs, como transformar ingressos em ativos digitais ou usá-los para criar comunidades entre os fãs. O anúncio da NHL foi relativamente direto e focado em colecionáveis, embora tenha mencionado a realização de “missões e desafios” para manter os fãs envolvidos. Agora, a liga só tem que esperar que o inverno de criptomoedas termine antes do início da próxima temporada de hóquei. 

Pois com o “inverno cripto” ainda por aí, os acordos, parcerias e patrocínios esportivos podem ser bastante afetados como estamos vendo acontecer com várias empresas de criptomoedas e tokens não fungíveis (NFTs).

Os investidores que antes estavam gastando muito, atualmente estão tendo que cortar gastos para lidar com essa queda brusca no mercado de criptomoedas e NFTs.

Agora, estão tendo que se reinventar para lidar com os gastos que perderam nesse mercado, investindo e patrocinando, porque, infelizmente, está tendo uma queda.

- Advertisement -spot_img

Leia também

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias