19.8 C
São Paulo

Jornalista iraniana denuncia assédio no trabalho

É Pop!

A sociedade iraniana é conhecida mundialmente por não dar muita liberdade às mulheres. Mesmo assim, a jornalista Sheena Shirani, agora ex-apresentadora do canal de televisão Press TV, decidiu quebrar o silêncio e denunciar o assédio sexual que vinha sofrendo há anos de homens com cargos superiores ao dela na empresa estatal. A coragem de Sheena tem influenciado outras mulheres a desafiarem o machismo cultural e fazerem o mesmo.

A apresentadora postou nas redes sociais trechos de conversas telefônicas em que um homem, supostamente um de seus chefes, Hamid Reza Emadi, pedia diversas vezes que ela o “satisfizesse sexualmente”. Sheena também publicou prints de mensagens enviadas pelo próprio Emadi, em que ele implora para que a jornalista delete as mensagens comprometedoras. “Isso vai me deixar sob muita pressão. Fazendo isso, você está deixando muito felizes pessoas que me odeiam”, escreve.

Após o episódio, a iraniana pediu demissão do canal televisivo e decidiu deixar o país. “Não posso mais trabalhar em uma organização na qual eu não acredito”, registrou no perfil pessoal no Facebook. A boa notícia na história é que, em uma atitude sem precedentes no Irã, a Press TV decidiu acatar a denúncia de Sheena e suspendeu Emadi, além de outro executivo da empresa, também acusado de assédio sexual.

I can no longer be part of a cause, a system or an organization I dont believe in. As of today, I no longer work for Press TV.

Publicado por Sheena Shirani em Terça, 2 de fevereiro de 2016

Nos comentários das publicações no Facebook, Sheena tem recebido apoio de internautas do mundo inteiro e de outras profissionais iranianas, que também sofrem com a constante intimidação por parte de homens no ambiente de trabalho. Em uma mensagem para o programa de rádio norte-americano Voice of America, a apresentadora conta que não podia mais ficar calada após anos de sofrimento:

Numa sociedade como a iraniana, se você for fraca e não tiver laços com poderosos, você está sozinha. Mais ainda, se você for mãe solteira, estará desprovida de qualquer valor nesta sociedade. Eu sabia que ninguém me via como profissional. Eu era vista sexualmente.

Embora a situação pela qual Sheena e outras milhares de mulheres iranianas seja inaceitável, o lado positivo é que os acusados estão finalmente sendo investigados e poderão responder judicialmente pelos seus atos. O relato de Sheena Shirani ganhou o mundo e pode ser um aviso de que as coisas estão, mesmo que lentamente, mudando.

Tags
comente
Ler a próxima matéria
Xavier Dolan divulga novos nomes de seu próximo filme

- Advertisement -spot_img

Leia também

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias