19.8 C
São Paulo

Furacão perto do México é o mais forte já registrado

É Pop!

O México está próximo de ser atingido pelo maior furacão já visto na história da meteorologia. O governo local decretou situação de “emergência extraordinária” para diversas cidades da costa oeste, região aonde o Furacão Patrícia deve chegar nas próximas horas desta sexta-feira (23). Foram registrados ventos de até 325 km/h, o que faz deste o mais poderoso fenômeno já registrado. Segundo especialistas, as consequências podem ser catastróficas para o país.

O litoral oeste do México se prepara para a chegada do Furacão Patrícia (Reprodução/YouTube).

O que mais surpreendeu os cientistas foi a rapidez com que o Patrícia cresceu. Às 22 horas locais de quarta-feira, os ventos eram de “apenas” 100 km/h, aumentando a velocidade em 40% em somente quatro horas. Às 2h, o furacão atingiu 140 km/h e começou a ser classificado na categoria 1 da escala Saffir-Simpson, usada para medir a força dos fenômenos.

Animação mostra a formação do fenômeno (Reprodução/Wunderground).

Na tarde desta sexta, os ventos haviam alcançado 240 km/h, o que o confere a força 5, a mais violenta possível. De acordo com a Organização Meteorológica Mundial, as rajadas esperadas seriam capazes de “fazer um avião ir pelos ares e mantê-lo voando”. Já o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos alerta para o risco de enchentes, deslizamentos de terra e grandes ondas em decorrência do furacão. “O Patrícia deverá ser extremamente perigoso quando tocar a terra”, ressalta a organização.

O fenômeno é o mais poderoso já registrado na história (Reprodução/NOAA).

As regiões costeiras do México, tanto do Pacífico quanto do Atlântico, costumam enfrentar tempestades tropicais e as autoridades estão trabalhando para evacuar cerca de 50 mil habitantes das áreas costeiras que correm maior perigo. Diversos abrigos já estão sendo preparados para atender quase 300 mil pessoas, e as aulas foram suspensas em escolas de vários estados da região.

Sobreviventes caminham entre os destroços do Tufão Haiyan, que atingiu as Filipinas dois anos atrás (Getty Images).

Os cientistas comparam a força destrutiva do fenômeno com o Tufão Haiyan, que devastou as Filipinas em 2013 com ventos de até 315 km/h. Cerca de 6 mil pessoas morreram. O próprio México já foi atingido por um furacão de intensidade semelhante em 1997. Os ventos do Linda passaram de 295 km/h, mas não houve registro de vítimas. Torcemos para que o mesmo aconteça agora.

comente
- Advertisement -spot_img

Leia também

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias